banner regulamento

Quarta, 11 Janeiro 2017 06:27

ViolĂȘncia contra jornalistas cresceu em 2016

Avalie este item
(0 votos)

 

A Federação Nacional dos Jornalistas – FENAJ vai lançar, na prĂłxima quinta-feira, dia 12, seu relatĂłrio anual da violĂȘncia contra jornalistas no Brasil. O levantamento da FENAJ, feito em parceria com os Sindicatos de Jornalistas, aponta um crescimento de 17,52% no nĂșmero de casos de agressĂ”es, em relação ao ano anterior. Foram 161 casos de violĂȘncia contra a categoria, 24 a mais do que os 137 casos registrados em 2015. O total de vĂ­timas foi de 222 jornalistas, visto que em vĂĄrias ocorrĂȘncias, mais de um profissional foi agredido.

O lançamento do RelatĂłrio da ViolĂȘncia contra Jornalistas e Liberdade de Imprensa – 2016 serĂĄ realizado Ă s 15 horas do dia 12 de janeiro, no auditĂłrio do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do MunicĂ­pio do Rio de Janeiro (SJPMRJ). A presidenta da FENAJ, jornalista Maria JosĂ© Braga, vai apresentar os nĂșmeros apurados que, mais uma vez, revelam que a categoria tornou-se alvo de diversos tipos de agressĂ”es. O evento serĂĄ transmitido pela pĂĄgina do SJPMRJ no Facebook (fb.com/sindjor).

Foram registrados dois casos de assassinatos de jornalistas em decorrĂȘncia do exercĂ­cio da profissĂŁo e cinco assassinatos de outros comunicadores (dois radialistas, dois blogueiros e um comunicador popular), que sĂŁo citados para registro, mas nĂŁo sĂŁo somados aos nĂșmeros totais de casos de violĂȘncia contra jornalistas.

As agressĂ”es fĂ­sicas foram a violĂȘncia mais comum tambĂ©m em 2016, repetindo a tendĂȘncia dos anos anteriores.  Houve 58 casos, nove a mais que no ano anterior. Mais uma vez grande parte das agressĂ”es fĂ­sicas foi registrada em manifestaçÔes de rua.

Foram registrados tambĂ©m 26 casos de agressĂ”es verbais, 24 casos de ameaças e/ou intimidaçÔes, cinco atentados, 18 casos de cerceamento Ă  liberdade de imprensa por meio de açÔes judiciais, 13 ocorrĂȘncias de impedimento do exercĂ­cio profissional, dez prisĂ”es, trĂȘs casos de censura e ainda dois casos de violĂȘncia contra a organização sindical dos jornalistas.

Também é preciso registrar que em 2016, por ser ano eleitoral, partidos e candidatos recorreram à Justiça para impedir a circulação de informaçÔes, principalmente nas redes sociais. A maior parte das açÔes judiciais referiam-se à legislação eleitoral. Aquelas que notadamente tinham como objetivo impedir a divulgação de informaçÔes jornalísticas estão descritas no Relatório.

Consta, ainda, como registro, o caso do acidente com o aviĂŁo da Lamia que transportava o time da Chapecoense, ocorrido na ColĂŽmbia, do qual 21 jornalistas foram vĂ­timas fatais. Foi o acidente com o maior nĂșmero de jornalistas mortos da histĂłria.

A violĂȘncia contra jornalistas em nĂșmeros:

Assassinatos – 2 jornalistas

AgressĂ”es fĂ­sicas – 58 casos

AgressĂ”es verbais – 26 casos

Ameaças/intimidaçÔes – 24 casos

Atentados – 5 casos

Censura – 3 casos

Cerceamentos Ă  liberdade de expressĂŁo por meio de açÔes judiciais – 18 casos Impedimentos ao exercĂ­cio profissional – 13 casos PrisĂ”es/DetençÔes/CĂĄrcere privado – 10 casos ViolĂȘncia contra a organização sindical – 2 casos

SERVIÇO: LANÇAMENTO DO RELATÓRIO DA VIOLÊNCIA CONTRA JORNALISTAS E LIBERDADE DE IMPRENSA

12 de janeiro de 2017, 5ÂȘ feira, Ă s 15 horas AuditĂłrio do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do MunicĂ­pio do Rio de Janeiro

Rua Evaristo da Veiga, 16/17Âș andar – Centro - Rio de Janeiro/RJ

TransmissĂŁo ao vivo pelo Facebook do SJPMRJ > fb.com/sindjor

Telefones para contato

(21) 3906-2450 – Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro

(61) 99217-3406 - Maria José Braga, Presidenta da FENAJ

Ler 89 vezes
UA-39159391-7